quarta-feira, 29 de Dezembro de 2010

Jéssica Areias no Bahia

BAHIA dos SONS  

no Espaço Bahia

 

APRESENTA

 

"Noites de Elis e de Jobim"

 29 de Dezembro – Quarta - Feira - 21H30

 

Jéssica Areias, acompanhada por Mário Garnacho ao piano, vai apresentar o show denominado: "Noites de Elis e de Jobim". A artista reúne no seu repertório temas nos estilos: Bossa Nova, Samba, Fado, Jazz, entre outros.

 

Contamos com a sua presença.

 

Bilhetes à venda no local ao preço de 1.500 Kwanzas 

 

T.: 924 20 58 22/222 370 610

Espaço Bahia – Av. 4 de Fevereiro, 183  – Luanda


 

terça-feira, 28 de Dezembro de 2010

NOVO CD DO MÚSICO GOSPEL BAMBILA

(Domingo), Dia 9 de Janeiro de 2011 a partir das 8h00 na praça da independência, o musico gospel Bambila fará a venda e sessão de autógrafos da sua segunda obra discográfica intitulada "Há um Deus", segundo uma nota de impresa do músico.

O álbum trará 14 faixas musicais, e conta com as participações especiais de: Irmã Sófia, Dódo Miranda; Guy Destino; Banda TDC, Os Candelabros, Irmão Chidy, e Mestre Elefant.

Depois da praça da independência, Bambila fará a venda por alguns municípios da capital e posteriormente no interior do país.

Além de participarem, conta também com as produções de Guy Destino na faixa nº8, Dódo Miranda na faixa nº9.

Lembrar que Bambila estreiou-se no mercado musical nacional em 2006, com a obra discográfica "Hoje achei", que traz os sucessos: Ele é o cordeiro, eu entrego a minha vida, e a música que dá o título ao álbum hoje achei.

Fonte: Acessória de Imprensa do Bambila.

Luanda aos 27 de Dezembro de 2010

Mégraf

Criação de logomarcas, passes pvc, cartões de visita, desdobráveis, flyers, Video e áudio visual.

Outros serviços, Decoração, Marketing e Publicidade criação de Spot audio e vídeo.

Largo do Kinaxixi, Rua da Múxima n.59

CrIaÇãO cOm
ReSpOnSáBiLiDaDe

Enviado por: FAUSTO MIGUEL

segunda-feira, 27 de Dezembro de 2010

Lokua Kanza

Lokua Kanza em entrevista a Lueji Dharma para a Mesa Bicuda


Lokua Kanza aproveitou o mês de Dezembro para visitar Angola e promover o seu novo álbum Nkolo. Na sexta-feira dia 16, encheu o palco da Trienal de Luanda para dar um concerto memorável.

Como artista salienta essa noite como inesquecível, pois, considera que o público angolano está em total sintonia com a sua música. Lokua confessa emotivamente que ao tocar a primeira nota sentiu de imediato uma grande empatia. Toda a gente cantava ou dançava, não havia uma alma por animar relata entusiasmado. Não entendo, este amor incondicional pela minha música.

Talvez esta empatia e amor pela sua música se relacione com o ritmo africano e tradicional do Congo?

Acredito que sim. A verdade, é que apesar de sermos países diferentes a música não tem barreiras, muito menos, quando até temos fronteiras em comum. Sei também, que há povos em Angola onde a música tem algumas similaridades com as do Congo. São a exemplo os povos da cultura tchokwe, entre outros.

Quais as suas influências musicais?

Assim, rapidamente, recordo-me de Miriam Makeba. As minhas referências passam sem dúvida pela música tradicional congolesa e do ruanda que ouvi desde miúdo. Felizmente, cresci numa família onde a música era uma constante no lar.

Os seus pais foram uma referência?

Concerteza e continuam a ser. A minha mãe e o meu pai desde cedo deram-me a conhecer a beleza das melodias e dos cantos africanos. Com eles pude aprender instrumentos musicais, pelo que ao receber a minha primeira guitarra, na adolescência, saltei para as orquestras do Zaire.

E teve alguma formação musical?
Sim, frequentei o Conservatório em Kinshasa onde me familiarizei com a composição, orquestração, canto e vários instrumentos. Acabei por me especializar no piano, no baixo, na sanza, na flauta e na guitarra o que me leva a receber a denominação de multi-instrumentalista.

E como surge a França e, mais concretamente Paris na sua vida?

Paris, representa o fim de um ciclo e a entrada num novo mundo, no ano de 1984. Em Paris a minha capacidade musical é posta à prova ao acompanhar músicos como Pierre Cullaz, Ray Lema, Papa Wemba, Sixun... Fui compositor, escritor de letras, cantor e "multi- instrumentalista".

O concerto no Olympia foi um sonho tornado realidade?
Sem dúvida. Já lá tinha estado por várias vezes a dar apoio a outros artistas. Mas, só em 1992 consigo realizar um sonho de longa data. O mais engraçado, é que foi no dia 1 de Abril de 1992 e, por isso, quando anunciava aos amigos e conhecidos todos pensavam tratar-se de uma mentira. Mas, mesmo assim, consegui ter o Olympia repleto de amantes da minha música. Foi um grande concerto e um momento de viragem na minha vida. No final de 1992 lançava o meu primeiro álbum: Lokua Kanza.

Como foi recebido esse seu primeiro filho?

Muito bem recebido! Acabei por receber o prémio de Melhor Álbum Africano durante os Prémios
Musicais Africanos.

Vê-se a viver sem ser músico?


Antes de tudo, sou um músico. Quando não estou a compor ou a tocar, estou a ouvir música. Posso considerar-me viciado em música, e não concebo a vida sem ela. A música não é uma opção mas uma necessidade/benção constante.

Nkolo. A que se deve o título deste seu novo álbum?
Nkolo, significa Deus. E este nome pretende, antes de tudo, ser um agradecimento pelas bençãos da minha vida. Considero-me um homem abençoado.


E Angola?

Angola é um país maravilhoso onde a música está presente em todos os cantos. Desde cedo a criança já não consegue resistir a balançar o corpo perante um ritmo musical. E ao constatar o amor demonstrado à música que componho quero regressar muito brevemente.

Lê nos seus tempos livres?
Quando tenho tempo, gosto de ler livros de poesia, filosofia ou reveladores do espírito humano. Em resumo, aprecio livros onde a imaginação dá asas para outros mundos.

Qual o seu maior sonho?
O meu sonho é algo de muito simples mas de elevado simbolismo para mim. Como filho primogénito, pretendo continuar a usar o meu sucesso musical para ser o patrono dos sonhos dos meus familiares. É com enorme prazer que apoio os meus familiares e os vejo crescer.

sexta-feira, 24 de Dezembro de 2010

Não quero que faltes a Última Noite de Poesia Eu ViVo de 2010

 

Data: 30 de Dezembro de 2010

Local - King´s Club;

Hora - 19:00;

Entrada - 250Kz;

Liga já 927 00 17 80 ou 917 05 15 50 e confirma a tua presença na Lista Especial 2010.

 

Dia de Natal

(poema de António Gedeão)

Hoje é dia de ser bom.
É dia de passar a mão pelo rosto das crianças,
de falar e de ouvir com mavioso tom,
de abraçar toda a gente e de oferecer lembranças.

É dia de pensar nos outros - coitadinhos - nos que padecem,
de lhes darmos coragem para poderem continuar a aceitar a sua miséria,
de perdoar aos nossos inimigos, mesmo aos que não merecem,
de meditar sobre a nossa existência, tão efémera e tão séria.

Comove tanta fraternidade universal.
É só abrir o rádio e logo um coro de anjos,
como se de anjos fosse,
numa toada doce,
de violas e banjos,
entoa gravemente um hino ao Criador.
E mal se extinguem os clamores plangentes,
a voz do locutor
anuncia o melhor dos detergentes.

De novo a melopeia inunda a Terra e o Céu
e as vozes crescem num fervor patético.
(Vossa Excelência verificou a hora exacta em que o Menino Jesus nasceu?
Não seja estúpido! Compre imediatamente um relógio de pulso antimagnético.)

Torna-se difícil caminhar nas preciosas ruas.
Toda a gente se acotovela, se multiplica em gestos, esfuziante.
Todos participam nas alegrias dos outros como se fossem suas
e fazem adeuses enluvados aos bons amigos que passam mais distante.

Nas lojas, na luxúria das montras e dos escaparates,
com subtis requintes de bom gosto e de engenhosa dinâmica,
cintilam, sob o intenso fluxo de milhares de quilovates,
as belas coisas inúteis de plástico, de metal, de vidro e de cerâmica.

Os olhos acorrem, num alvoroço liquefeito,
ao chamamento voluptuoso dos brilhos e das cores.
É como se tudo aquilo nos dissesse directamente respeito,
como se o Céu olhasse para nós e nos cobrisse de bênçãos e favores.

A Oratória de Bach embruxa a atmosfera do arruamento.
Adivinha-se uma roupagem diáfana a desembrulhar-se no ar.
E a gente, mesmo sem querer, entra no estabelecimento
e compra - louvado seja o Senhor! - o que nunca tinha pensado comprar.

Mas a maior felicidade é a da gente pequena.
Naquela véspera santa
a sua comoção é tanta, tanta, tanta,
que nem dorme serena.

Cada menino
abre um olhinho
na noite incerta
para ver se a aurora
já está desperta.
De manhãzinha,
salta da cama,
corre à cozinha
mesmo em pijama.

Ah!!!!!!!!!!

Na branda macieza
da matutina luz
aguarda-o a surpresa
do Menino Jesus.

Jesus
o doce Jesus,
o mesmo que nasceu na manjedoura,
veio pôr no sapatinho
do Pedrinho
uma metralhadora.

Que alegria
reinou naquela casa em todo o santo dia!
O Pedrinho, estrategicamente escondido atrás das portas,
fuzilava tudo com devastadoras rajadas
e obrigava as criadas
a caírem no chão como se fossem mortas:
tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá.

Já está!
E fazia-as erguer para de novo matá-las.
E até mesmo a mamã e o sisudo papá
Fingiam
que caíam
crivados de balas.

Dia de Confraternização Universal,
Dia de Amor, de Paz, de Felicidade,
de Sonhos e Venturas.
É dia de Natal.
Paz na Terra aos Homens de Boa Vontade.
Glória a Deus nas Alturas.

António Gedeão [Poeta português]

quarta-feira, 22 de Dezembro de 2010

O Movimento Lev´Arte deseja-lhe FESTAS FELIZES

O Movimento Lev´Arte

deseja-lhe FESTAS FELIZES

e que o NOVO ANO seja carregado

de mais Saúde, União, Paz e Sucesso.

Merry Xmas and Happy New Year

imagem@ www.jovensemissao.blogspot.com

A NOSSA PROMESSA:

POESIA MÚSICA DANÇA TEATRO PINTURA LITERATURA

= Vamos continuar a LEV´ARTE em 2011

http://www.levarteangola.blogspot.com/

Clássicos de Natal com Érika e Amigos

BAHIA dos SONS

no Espaço Bahia

PRESS RELEASE

O Projecto "Bahia dos Sons" no Espaço Bahia vai apresentar nesta Quinta – Feira, 23 de Dezembro de 2010 o show denominado: "Clássicos de Natal com Érika e Amigos", a partir das 21h00.

A actividade é uma apresentação musical de cânticos de Natal, com o objectivo de proporcionar as pessoas, a alegria que representa essa época. A artista pretende através das músicas que vão ser apresentadas passar a mensagem sobre o quão importante é rever os nossos actos, gestos, pensamentos, atitudes e modo de viver.

Sobre a artista:

Nzuzi Érika Mfinda, nasceu aos 3 de Abril de 1986. É natural do Sambizanga. Começou a cantar desde tenra idade no coro infantil da Igreja Metodista Unida.

Aos 15 anos começa o seu aperfeiçoamento na Música, tendo lições de canto e Piano com a Professora Isabel Rosa e o Mestre Mateus Agostinho Júnior. No ano de 2005 fez a abertura do Festival do Clube Náutico de Luanda, no Complexo hoteleiro da Endiama. Apresentou 8 temas musicais, acompanhada pelo Maestro Mateus Agostinho Júnior.

2005-2006 - Foi uma das vocalistas da Banda Mestre Webba.

No ano de 2006 abriu o 1º Fórum da Bolsa de Valores em Angola, com 2 temas musicais, na Assembleia Nacional. É membro do Grupo Musical Lungas e Ilungas, que já tem no mercado uma obra discográfica intitulada Yisu Sikeza.

Érika vai estar acompanhada pela pianista Felisbela Ilunga e pelas coristas Lubélia Serrote, Cláudia de Almeida e Loidyana.

Para participar da actividade basta que cada pessoa leve consigo roupas, brinquedos, livros ou alimentos que poderão servir para doação.

REPERTÓRIO

1-A Estrela acendeu by Nzuzi Érika

2-Sobre os campos de Belém

3-Adeste fideles, by Jonh F. Wade

4-Joy to the world , George Friedrich Handel

5-Silent night Franz Gruber,

6- O primeiro natal,

7-Nasceu o Redentor

8- Do tronco rude e forte

9- Mu sanzala ya davidi

10-Oh Christmas tree

11-Noite de Natal by Nzuzi Érika

12 Holy Night, Português e inglês

Ainda no Espaço Bahia, todas as quartas-feiras do mês de Dezembro (dias: 22 e 29 de Dezembro e 5 de Janeiro) acontece o show denominado: "Noites de Elis e de Jobim" com a artista Jéssica Areias, acompanhada pelo músico Mário Garnacho ao piano.

Pedimos a sua contribuição para a divulgação e cobertura das nossas actividades.

A sua presença é com certeza indispensável.

Contactos para informações e reservas: 924 20 58 22/222 370 610

Espaço Bahia

Av. 4 de Fevereiro, 183 – Luanda.

segunda-feira, 20 de Dezembro de 2010

Quinta da Poesia Eu Vivo

 

ESTA QUINTA- FEIRA

A MESA BICUDA

É COM O REPÓRTER E MUSICO ALEXANDRE DALA

 

Alexandre Dala é uma das caras mais conhecidas do Canal 2 da TPA, exerce a função de repórter. A televisão é uma das suas grandes paixões, e procura sempre exercer o seu trabalho com profissionalismo e rigor jornalístico. Para além de repórter ele também é músico – Rap, já participou em alguns trabalhos com destaque para a primeira obra discográfica do grupo Keima Roupa. Alexandre lançou no passado dia 19 de Dezembro, no Parque da Independência, o seu primeiro rebento musical, ou melhor a sua primeira obra discográfica intitulada: " A FAMA NÃO ME MUDOU ".   

A conversa na nossa mesa Bicuda esta quinta-feira é com ele mesmo… Alexandre Dala

 

MENU DA NOITE

POESIA ao Som da TROVA

HUMOR

Venda e Sessão de Autógrafos do disco: A FAMA NÃO ME MUDOU.

 

LOCAL: KING´S CLUB – VILA ALICE

19 HORAS

ENTRADA: 250 KZ

TERMINAIS DA ARTE:

917 05 15 50

927 00 17 80




--
Tel. (00244) 927 00 17 80 e 917 05 15 50

domingo, 19 de Dezembro de 2010

Shoots Tata Yetu








Show Tata Yetu

Senhoras e senhores Angola, Brasil e o mundo
Não há muitas palavras para descrever a emoção que eu e os presentes vivemos hoje no ultimo show do ano do Colectivo de Artes Tata Yetu que ficou marcado pelo facto de que a chuva, não teve força suficiente para travar O amor pela arte que o grupo tem eles, "Fizeram Acontecer"

Reparem na plateia, alegre, e sem medo das gotas timidas que cessaram de vergonha diante da maravilha apresentada


Olhem para foto e reparem na moldura humana presente que não se importou com as gotas timídas de agua diante da qualidade das obras apresentadas




Para mais ver mais fotos aceda ao facebook do Lev´Arte

Sem comentários (a imagem fala por si)

Aconteceu "Poesia à Volta da Fogueira"

Não houve ontem chuva que apagasse a chama da fogueira da arte recheada de bastante lenha humana, disposta, apaixonada e expectante para ver começar o tão esperado evento "Poesia à Volta da Fogueira".
O evento aconteceu no quintal da União dos Escritores Angolanos, foi notória e hilariante a presença do núcleo de Artes de Viana, N´vunda Tonet que brindou os presentes comercializando e autografando á sua obra literária intitulada Psicologos.. Porquê e para quê?, e Cláudio Vieira também comercializou e aoutografou o livro com o título Conselhos do Homem mais Rico e mais Sábio (Rei Salomão).

A plateia foi ao rubro com declamações de Sacramento, Molhado Artes, Clandestino, Soba Secreto e Poetas do Movimento Literário Vianence que representaram dignamente a qualidade de artistas vindos da cidade satélite e, assim ficaram marcadas as primeiras faíscas da fogueira.
Momentos e emoções fortes ao som de violão e voz de Èsio e Vlademiro Gonga que foram acompanhados pela imensa plateia que se fez presente, TiMajó arrancou saudáveis gargalhadas de todos os presentes como ele bem sabe fazer, contando anedotas o que fez com que tivessemos um aumento de temperatura dispensando a presença de um barómetro qualquer porque eram visivéis as chamas da fogueira...

Pedro Bélgio e Jójó mais uma vez abrilhantaram o palco com declamação de poesia acompanhados pelo acordes de violão de Nilton Setas e para quem quisesse comprar livros, estava bem recheada de livros a nossa Kitanda pois houve quem soube tirar proveito da compra ganhando assinatura e uma foto com o autor de Mátria Nguimba Ngola um declamador rico e conhecedor de regras da língua de Camões....... e lá vinha .... muito mais para se viver ainda......

Terror Black, Terror Black, Terror Black um sucesso sem sombra de dúvidas quando o Colectivo de Artes Tata Yetu entra em palco, a peça, que sofreu algumas alterações notada apenas pelos mais atentos foi apresentada por actores merins o que fez com que tivesse uma outra dinâmica e explosão nesta hora são poucas as palavras para descrever..... "perdeu quem não esteve " hahahahahhahahaahhaahahahahhahah é, eram gargalhadas e mais gargalhadas que aumentaram a curiosidade e serviram de convite para os vizinhos do quintal da União dos Escritores Angolanos que acabaram por entrar e vibrar na festa do Lev´Arte.


N´zakhram, poeta e jornalista investigador soltou a voz e mostrou algo de diferente .... algo verdadeiramente africano este, sucedido por António de Jesus que enalteceu o momento com palavras sábias, tranquilas de paz, amor e reflexão não tinha como não ficar de pé para aplaudir o tão belo espetáculo em nome da arte.


OBS: Todas as fotos do evento podem ser encontradas no albúm de fotos no facebook do Lev´Arte.

quinta-feira, 16 de Dezembro de 2010

COMERCIALIZAMOS CDs DE MÚSICA ANGOLANA

www.musicangolanatuga.blogspot.com
 
COMERCIALIZAMOS CDs DE MÚSICA ANGOLANA POR ENCOMENDA
 
ESPAÇO GEOGRÁFICO: PORTUGAL CONTINENTAL E ILHAS
 
NOVIDADES:
 
* GIZELA SILVA - AMOR VENENO (AI VOU XINGUILAR HÉH)
* CABO SNOOP – BLUETOOTH (WINDEK) 
* MAYA COOL – CERTEZA

* CÉLSIO MAMBO – MAIS DO QUE VENCEDORES

* DOG MURRAS – ANGOLANIDADE

* DON G – NOVA VIBE

* YOLA ARAÚJO – EM NOME DO AMOR

* PRÓPRIA LIXA – TREMURA

* AFRIKKANITHA – AINDA SONHO

* VOTO GONÇALVES – PÃO COM CHOURIÇO

* JOVENS DO PRENDA - TWEZA

E MUITOS MAIS…

 

PREÇO UNITÁRIO: 12€ + PORTES DE ENVIO 

 
FAÇA JÁ A SUA ENCOMENDA, ENVIANDO-NOS O SEU PEDIDO PARA ESTE E-MAIL musicangolanatuga@hotmail.com 

CONVITE A CONFERENÇIA

                       

LUANDA, AOS 14 DE DEZEMBRO 2010.

ASSUNTO : CONVITE A CONFERÊNÇIA SOBRE : A IMPORTANÇIA DA ABSTINÊNÇIA E FIDELIDADE  NO COMBATE AO VIH SIDA.

EXCELÊNÇIA

 Sr (a) : _____________________________________________________

A Federação Para Paz Universal-Angola ,uma ONG de direito angolano, de carácter Educacional e Humanitária vocacionada na revitalização dos valores universalmente aceite e no desenvolvimento humano, alúsivo ao mês de dezembro considerado como mês dedicado na luta contra a Sida,tem a honra de convidar a sua Excelênçia senhor (a) para brindar nos com a sua presênça na conferênçia sobre : A IMPORTANÇIA DA ABSTINÊNÇIA E FIDELIDADE NO COMBATE AO VIH SIDA.

Que terá lugar nesta quinta feirra dia 16 de dezembro de 2010

Na sala da união dos escritores angolanos sita nas mediações do largo da independênçia com o inicio às 15 horas até 17 horas juntando o momento de confraternização.A Instituição em epígrafe agradece antepadamente a sua Excelênçia pela  participação e conta com a sua contribuição em idéas ao combate desta pandêmia que cada vez mais se torna uma amêaça para a humanidade.

                                                               A ORGANIZAÇȂO

                                                   ------Rev.  pedro kinambuta sambu---



Saudaçoes Cordiais ,
Aproveitamos deste meio para convidar los nesta conferençia sobre a sida.HOJE DIA 16 ,NA SALA DA UNIAO DOS ESCRITORES ANGOLANOS ,( NAS MEDIAÇOES DO LARGO DAS ESCOLAS ) Primerio de Maio.As 15 horas .
fazem questao de encaminhar o mesmo aos vossos contactos .Agradecemos pela vossa gentileza.
Rev. Pedro. Federaçao Para Paz Unniversal - ANGOLA               . Tel 912 654788 .  926 930 254 .




--
www.fazemosacontecer.blogspot.com
Tel. (00244) 927 00 17 80 e 917 05 15 50

Literatura - Lançamento do romance O Sonho de Kaúia, de Soberano Canhanga

Convite aos amigos da leitura

 

 

A Mayamba Editora anuncia o lançamento, na próxima Sexta-feira, dia 17 de Dezembro, às 18H00, no CEFOJOR – Centro de Formação de Jornalistas, do romance O Sonho de Kaúia, de Soberano Canhanga.

 

A apresentação estará a cargo do mestre em literaturas africanas e docente do ISCED Manuel Muanza.

 

 

Sobre o livro

 

O Sonho de Kaúia é a história de um jovem de origem humilde que promete ao pai iletrado, antes deste falecer, que seria jornalista. Depois de duro bregar, consegue materializar o sonho. Cumpre-se aqui o velho adágio: querer é poder! Nas sociedades em transição, como a nossa, quando um filho termina os estudos e consegue um emprego, significa ascensão social para toda a família. Kaúia, que também prometera à mãe voltar ao campo para ser caçador, não cumpre a promessa, mas, com os proventos do seu trabalho de jornalista apreciado pela chefia e respeitado pelos colegas de redacção, confere-lhe uma casa condigna para passar a sua velhice. Ao longo das 112 páginas, o personagem Kaúia assume-se como uma voz que verbera os desatinos da sociedade em que vivemos. A sua composição que serve de teste de admissão para a carreira de jornalista é bem revelador da sua capacidade de captar a realidade.

 

Sobre o Autor

 Soberano Canhanga é pseudónimo de Luciano António Canhanga, jornalista, nascido no Libolo, Kwanza-Sul, há 34 anos. O seu sonho era o de se tornar engenheiro mineiro ou agrónomo, mas estudou jornalismo no Instituto Médio de Economia de Luanda (IMEL).

Licenciou-se mais tardem Ensino da História pelo Instituto Superior de Cièncias da Educação (ISCED-Luanda) e em Ciências da Comunicação na Universidade Privada de Angola (UPRA), também de Luanda.

Trabalhou como jornalista na Luanda Antena Comercial – LAC, onde foi editor, e leccionou no ensino geral público, ao mesmo tempo que colaborava, publicando artigos e informações para vários medias angolanos e estrangeiros, com destque para RDP-África e Correio da Manhã, ambos de Portugal, Seminário Económico, Cruzeiro do Sul e Jornal dos Desportos de Angola.

É, desde há cinco anos, respons´vael pela comunicação institucional da Sociedade Mineira de Catoca, Lda.

Contacto do autor telemóvel: 923 55 86 51      Email: <lcanhanga@catoca.com>; <lcanhanga@hotmail.com> / contacto da Mayamba: 924 07 90 30 - Hernâni Abílio.

 

 

Um excerto do livro:

 

Kaúia termina a sua composição, não sabendo ainda qual seria o parecer dos directores do jornal. É que o uso do português, segundo a receita encontrada na gramática de José Maria Relvas, está difícil, mesmo para jornalistas com já muita tarimba.

E esperou, ansioso, no sofá da sala de espera, até que o vi­gilante, Man-Xaxo, que fora transferido pela Njovoli para aquela empresa jornalística o convidou:

–Sr. Kaúia, o chefe ainda está a chamar. Parece que você vai ficar.

– Sério? – Questionou, num misto de alegria e descon­fiança.

– Sim senhor jornalista. Ouvi lá dentro. Discutiram muito. O director-geral Francisco Kitembo a dizer que vale a pena aceitá-lo e o Dr. Adão a negar… Mas a menina Isabel Antonina que fica ali na frente (apontava para o lugar da chefe de redacção) foi chamada a votar e desempatou…

Kaúia levantou-se e, endireitando a gola da camisa que mostrava um pouco de sujidade, provocada por suores mais internos do que externos, apresentou-se ao director Fran­cisco Kitembo que o recebeu com um abraço.

– Estás entre os nossos. Lemos a tua prosa e o teu esforço nos convenceu. Tens três meses de estágio remunerado e já podes assi­nar. – Sentenciou o director.

– Obrigado, Sô 'tor101. Obrigado mesmo. Foi sempre o meu sonho. – Agradeceu.

Kaúia conseguiu ter, mesmo sem os processos transitados na Direcção de Recursos Humanos, um assento na redac­ção, ambiente que lhe parecia meio estranho com homens e mulheres mantendo conversas sem tabus. Parecia-lhe que as senhoras eram todas sem pudor e sem vergonha, abor­dando assuntos sem filtro. Todos tratando-se por tu…

 

Os primeiros seis meses de jornalismo deram-lhe as fer­ramentas práticas que não possuía. Depois foi só deslizar como as águas calmas do Kuanza à jusante. Kaúia tinha uma grande queda para as crónicas e artigos que alegravam os directores Kitembo e Carlitos Adão.

– Uma boa aposta. – Reconheciam, sempre que passassem a pente fino o crescimento de uns e a estagnação de outros jornalistas mais antigos na casa.

– Esse rapaz tem futuro! – Desabafavam vezes sem conta.

Kitembo e Carlitos, amigos desde a infância no Sete e Meio, viam em Kaúia o irmão e companheiro que lhes fal­tava. Sempre que se recordassem da adolescência notavam a ausência de alguém para preencher o puzzle. Era Kezito, por sinal também amigo de infância de Kaúia, desapareci­do nas curvas e contracurvas da vida. E Kaúia, que muito cedo se encaixou naquela dupla de exímios profissionais de imprensa, preencheu a vaga de Kezito, sendo-lhe con­fiada a página "REGIÕES", tão logo completou um ano de casa.

Ser repórter e editor da página que fala sobre o esta­do das províncias e das localidades proporciona-lhe muitas viagens ao interior que aproveita com mestria, fugindo da prisão em que se tornou Luanda, onde as torres engolem todos os dias os campos do trumunu, os parques infantis e os jardins que ainda resistem aos maus-tratos da população. Até os namoros da miudagem perderam a graça doutros tempos. No que se constrói à volta, amplamente difundi­do como Centralidades, não passa de outras prisões mais apertadas ainda. Eram quarteirões murados e vida privada amplamente vigiada.

– Então meu! Estão a abrir candidaturas para a Zona Leste. Vais aderir ou preferirás continuar no gueto? – Perguntou-lhe certa manhã o director de informação, Carlitos Adão, que já mora no New Life.

Viver no New Life e nas Centralidades dá um novo esta­tuto social. As camisas normais ganham a companhia dum casaco e gravata, mesmo que conseguidos na zunga. É a nova forma de aparecer e transpirar intelectualidade. Mas Kaúia não é desses complexos.

– Não chefe. Vou remodelar a casa que a velha me deixou no Rangel e investir no campo. Sabe, é lá que ficou o cordão… – Respondeu com convicção.

Mesmo com a vida remendada e frequentando o campo, Kaúia não pôde ir às caçadas e satisfazer a velha promessa feita à mãe na infância, mas conferiu-lhe uma casa em con­dições e uma velhice tranquila.

 

 

 

 

quarta-feira, 15 de Dezembro de 2010

CDC Angola no Senegal

Companhia de dança Contemporânea representa Angola no Senegal

A Companhia de Dança Contemporânea de Angola estará presente na 3ª Edição
do Festival Mundial de Artes Negras a ter lugar de 10 a 30 de Dezembro no
Senegal.
A CDC Angola representará a dança contemporânea angolana que, pela
primeira vez marcará presença neste Festival, na qualidade de convidada
especial, com a peça "Fragmentos de rituais circunscritos" da coreógrafa
angolana Ana Clara Guerra Marques.

Gabinete de Imagem e Divulgação da CDC Angola
Luanda, aos 9 de Dezembro de 2010
__________________________________________
Companhia de Dança Contemporânea de Angola
Tel: 00244 926091954
http://www.cdcangola.com/


Exposição/Venda da Panos e Palhas

Projecto "Panos e Palhas - Artesanato Urbano". 

A exposição/venda, será este Sábado, dia 18 de Dezembro, entre as 10 e as 14 horas no Espaço Sabores e Sons, na Associação Chá de Caxinde. 


Obrigada pela atenção,

Lueji Pestana

terça-feira, 14 de Dezembro de 2010

Tekasala e Shunnoz na II Trienal de Luanda

A Mental Fashion convida todos os amantes da Moda, Arte e afins...
Para o Desfile que terá lugar hoe as 20horas, no Cine Teatro Nacional.
O desfile enquadra-se nas actividades da II Trienal de Luanda. As
entradas são livres. Traga amigos e familiares.

Obrigado pelo carinho,

Tekasala e Shunnoz
Mental Fashion

--
levarte.angola@gmail.com
www.fazemosacontecer.blogspot.com
Tel. (00244) 927 00 17 80 e 917 05 15 50

Não perca o último evento Poesia à Volta da Fogueira

O Movimento Lev'Arte já espera por si...


Data: 18 Dezembro de 2010
Local: União dos Escritores Angolanos
Hora: 17:00
Entrada: Livre

Linha da Arte: 917 051550 e 927 001780

--
levarte.angola@gmail.com
www.fazemosacontecer.blogspot.com
Tel. (00244) 927 00 17 80 e 917 05 15 50

Poesia à Volta da Fogueira

--
levarte.angola@gmail.com
www.fazemosacontecer.blogspot.com
Tel. (00244) 927 00 17 80 e 917 05 15 50

Agenda Dezembro 2010

O Movimento Lev´Arte deseja a todos os amantes e fazedores de artes votos de festas felizes e que 2011 traga na bagagem mais arte, leitura e união.
 
Actividades Levarteanas para 2010:
 
1. Quinta da Poesia, acontece toda a Quint-Feira no King´s Club a Vila Alice.
 
16/12/2010 - Poesia ao ViVo e Mesa Bicuda;
23/12/2010 - Poesia ao ViVo e Mesa Bicuda;
30/12/2010 - Poesia ao ViVo e Mesa Bicuda;
 
Entrada: 250kz
Hora: 19:00
 
2. Poesia à Volta da Fogueira, acontece todo o segundo Sábado de cada mês, local União dos Escritores Angolanos.
 
18/12/2010 - Poesia à Volta da Fogueira "especial"
Entrada: Livre
Hora: 17:00

ESTATUTO DO MOVIMENTO LEV´ARTE

 

 

CAPÍTULO I

  DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTIVOS

 

Artigo 1.º

(Denominação e sede)

 

O LEV´ARTE foi fundado a 20 de Julho de 2006, é um movimento cultural de âmbito nacional, sem fins económicos, criado por tempo indeterminado, com sede na província de Luanda, município do Sambizanga, rua do Quicombo, casa nº144.
                                              

Artigo 2.º

(Objectivos)

 

 O LEV´ARTE tem por objectivos:

 

  1. Incentivar a leitura, a criatividade artística e o gosto pela literatura;

 

  1. Humanizar o comportamento das pessoas através da arte;

 

  1. Publicação de obras cientifico-literárias;

 

  1. Levar a arte cada vez mais próxima dos seres humanos;

 

  1. Promover o intercambio cultural entre os destintos actores da arte a nível global;

 

  1. Divulgar e realizar acções socio-culturais.


Artigo 3.º

(Regulamento Interno)

 

O funcionamento e actividades do LEV´ARTE são regulados por regulamento interno aprovado pela Assembleia Geral.


--
www.levarteangola.blogspot.com
Tel. (00244) 927 00 17 80 e 917 05 15 50