sexta-feira, 27 de março de 2009

FAÇA UMA CRIANÇA FELIZ EM 2009 (2ª Edição)




o mais marcante mesmo foi ver o espírito de solidariedade a crescer no seio da plateia que era por sua vez constituída maioritariamente por crianças,


Mira Clock

Para mim as crianças são as flores da prosperidade. Na minha opinião elas representam a única imagem que se pode ter do futuro, e quando damos educação, amor, e segurança às crianças, preparando-as para a realização de diversos papeis sociais estamos a formar uma geração.

Embora só me tenha tornado adepta deste ponto de vista depois de passar a olhar para as questões crianças e futuro de forma mais racional e profunda hoje sei que pelo andar da carruagem o futuro pode estar ameaçado já que, a realidade mostra que milhares de crianças não têm acesso a escola, e por inúmeras razões perderam as suas famílias, vivem nos lares, na rua, enfim, carecem de ajuda. Contudo pouco faço para remediar esta situação e tenho a certeza que não sou a única pessoa que se preocupou em aprofundar estas questões, mas depois do que soube apenas lamentou.


Mas o Movimento Literário Lev´Arte fez melhor, criou uma maneira para ajudar as crianças desfavorecidas todo o ano e não apenas no mês de Junho ou Natal como muitas pessoas como eu o fazem, e dai o nome da iniciativa “Fazer Uma Criança Feliz Em 2009”. Este projecto consiste na realização de um evento de poesia, musica, teatro e outras actividades infantis, em cada mês com os objectivos de proporcionar as crianças de diferentes meios sócias a oportunidade de mostrar que são mais capazes e mais fortes do que aparentam ser através do seu talento e arte; e de recolher donativos para posteriormente fazer a entrega à uma determinada instituição carente.


Eu particularmente já assisti a dois destes eventos e garanto que valeu a pena ter me feito presente. Não foi preciso nenhum esforço senti-me tão a vontade naquele mundo de cores e brincadeiras, e percebi que as crianças estão mesmo a dar carga, demonstraram talento na declamação, na dança, na representação, no canto, e o mais curioso é que muitas delas aprendem tudo isso nas ruas com uma facilidade impressionante.


Em relação a dança ouvi nomes como “As Kid Bué, Estrelinhas da Madeira, Mano do Pânico, Lilianas, Pit Gostosas, Staff do Milindro, Os Milindrosos …”, e vi coreografias de vários estilos nomeadamente kuduro, hip hop, kwassa, funk, pop e salsa, e sem exagero os miúdos tão com tudo. O teatro também brilhou com os juniores do Colectivo de Artes Tata Yetu (que sem tirar nem pôr arrasaram), a declamação não ficou para trás pois os pequenos Poetas que lá estiveram deram-me um banho de encanto, fiquei sem palavras. Diverti-me imenso afinal no mundo dos putos quem é que não se deixa levar? Tudo é mais natural e colorido, nem vi o tempo passar.




No meio de tudo o mais marcante mesmo foi ver o espírito de solidariedade a crescer no seio da plateia que era por sua vez constituída maioritariamente por crianças, afinal nem tudo esta perdido foi o que eu pensei. O Movimento Lev´Arte veio mostrar que se todos fizermos uma parte teremos um futuro de mulheres e homens nobres.



Sempre que poder estarei presente para ajudar o Lev´Arte nesta luta digna, levarei o meu donativo e quem sabe até oferecerei outro tipo de ajuda de acordo com as minhas possibilidades, de qualquer forma farei a minha parte, faça você também a sua parte ajude uma criança em 2009, participe de eventos como estes, apoie de alguma forma Movimentos como o Lev´Arte, seja um cidadão prudente não espere pelo dia 1 de Junho ou 25 de Dezembro.


Até ao dia 18 de Abril...

2 comentários:

Meire disse...

Olá, vim agradecer e retribuir a visita! Parabéns pelo trabalho! Gostei muito do blog, principalmente do nome! Se cada um faz a sua parte, realmente fazemos acontecer a mudança!!!

Que Deus os abençoe...

lili laranjo disse...

POETA
Ser poeta…
É ser louco…
É ser sonhador…
É saber dar…

Dar e dar-se…
Na poesia…
Na vida…
No mundo…
E saber que o seu poema…

Foi lido…
Foi sentido…
E, foi tantas vezes… partilhado!...

Partilhado…
Com dor…
Com alegria…
Com amor…

E o poeta sente…
Que o que fez…
Não foi para si|…
Foi para o mundo…

E nessa partilha…
Entende que não mais…
Voltará a estar só!...


Lili Laranjo Livro...Palavras Soltas...